ÁRVORES. Repercussão da "Primeira Coluna" e projeto sobre corte de árvores na cidade, mostram preocupação dos patrocinenses

A preocupação com o corte de árvores na zona urbana de Patrocínio ficou clara com repercussões nas redes sociais

arborização

A população entende que a cidade precisa não só preservar, mas aumentar o numero de árvores nas vias publicas de Patrocínio(Fotos: Matinha - Reprodução da TV Hoje)


Da Redação da Rede Hoje


A enorme preocupação com o meio ambiente, especialmente com o corte de árvores na zona urbana de Patrocínio ficou clara depois da publicação da “Primeira Coluna”, assinada por Eustáquio Amaral na Rede Hoje no domingo. As manifestações, entre elas, do vereador Thiago Malagolli que teve um projeto de sua autoria derrotado na Câmara Municipal na terça-feira passada, demonstram como o cidadão lida com a questão.

 

Com o título ÁRVORE OU CALOR DO INFERNO, EIS A QUESTÃO! a coluna retrata a situação da falta de “verde” em Patrocínio. E analisa: “Quente. O tempo já está. Embora o verão apenas comece no dia 22 de dezembro. É bom imaginar como será a estação de mais elevada temperatura do ano. Em priscas eras, os termômetros não avançavam os 30º Celsius. E na região de Patrocínio isso é notório. Basta conversar com gente de cinquenta ou sessenta anos ou mais. Hoje, no verão, o termômetro tem oscilado em torno de 40ºC. Há algumas explicações para essa diferença térmica. Questões do planeta, questões nacionais ou questões regionais a fundamentam. Restringindo-se às questões do Alto Paranaíba, especificamente do Município, uma explicação é vista a olho nu. A falta do verde. A devastação das árvores não deixa dúvida para ninguém. Essa devastação irresponsável com o ser humano e a natureza”.

 

thiagoThiago Malagoli lamenta que o seu projeto tenha sido derrotado(Foto: Arquivo)

 

PROJETO DERROTADO. Na terça-feira(26), o projeto do vereador Thiago Malagoli, que obriga a municipalidade plantar 10 árvores a cada corte de uma, apresentado na Câmara foi derrotado por 7 a 6. Isso gerou enorme polêmica e foi um dos assuntos que extrapolaram o Legislativo municipal.

 

Em mensagem direcionada ao colunista, encaminhada à Rede Hoje, o vereador parabeniza Eustáquio Amaral pela abordagem do tema e diz que “com a mesma preocupação, fui autor do Projeto de Lei 321, que versa sobre a mesma matéria”. Explica o projeto e denuncia: “todos têm observado que nesta gestão, centenas de árvores da zona urbana têm sido sacrificadas, como por exemplo na Praça da Matriz, Escola Casimiro de Abreu e Policlínica”.

 

Segndo o vereador seu único objetivo “é seguir as leis ambientais, e que a Administração fosse a primeira a dar o exemplo, replantando as árvores que por ventura, necessitem de fato serem cortadas. Meu Projeto se pautava na Lei da compensação ambiental nº 13.668/2018, e por 7 votos à 6, nosso Projeto foi rejeitado”. E nomeia os vereadores que “votaram contra o meio ambiente e contra nosso Projeto: Rogério Nelis, Marcilene Jacinto, Adriana de Paula, Neusa Mendes, Raquel, Margari e Salitre”. E continuaum descalabro, um absurdo a toda prova: vereadores votam contra as leis ambientais vigentes. Mas fizemos nossa obrigação e continuaremos lutando à favor de nossa cidade e nossa população”.

 

Thiago Malagoli encaminhou o Projeto de Lei e parecer desfavorável que foi aprovado pelos 7 Vereadores e conclui dizendo: “fizemos nossa obrigação e continuaremos lutando à favor de nossa cidade e nossa população”.

 

O resultado dessa votação repercute nas redes sociais, após uma publicação do blogueiro Milton Magalhaes e a coluna de Eustáquio Amaral com muitas críticas a política do Governo Municipal e a posição dos vereadores.

caio2

Caio Veloso disse que a reposição de árvores está prevista pelo Governo do Município(Foto: Arquivo)

 

A Rede Hoje vai ouvir o secretário municipal de Meio Ambiente, Caio Veloso, que em recente entrevista à TV Hoje, disse ser uma orientação do governo era exatamente a reposição de árvores quando forem necessários cortes.


bellaforma 31012019